Políticos LGBTs comemoram fachada da Câmara nas cores do arco-íris… só uma que não!

30/06/2020

 

A noite de ontem, de 28 de junho de 2020, do Dia Mundial do orgulho LGBT, foi um momento histórico. Pela 1ª vez, o Congresso brasileiro foi iluminado pelas cores da bandeira LGBT.

A iluminação ficou a cargo do coletivo Brasília Orgulho, que busca dar visibilidade e cidadania a lésbicas, gays, transsexuais e travestis e promove a Parada do Orgulho da cidade. E teve apoio da Aliança Nacional LGBTI+ e do Cidadania. A solicitação para a iniciativa no Congresso Nacional partiu do deputado Daniel Coelho (Cidadania-PE) e do senador Fabiano Contarato (Rede-ES).

Em suas redes sociais, o deputado David Miranda (PSOL), postou a foto e escreveu: “Direitos. Dignidade. Democracia. Diversidade! #Pride”.

Outro político brasileiro LGBT que também se manifestou foi o senador Fabiano Contarato: “Esse arco-íris que iluminou o Congresso Nacional simboliza a nossa liberdade, respeito, amor e a igualdade. Sonho com o dia em que ninguém será julgado pela cor da sua pele, pela sua orientação sexual ou por qualquer outra situação que justifique violência ou preconceito”, disse em seu Twitter.

Contarato também tirou uma foto com seu marido e o filho deles, compartilhara por Eliseu Neto no Twitter:

A co-deputada estadual pela Bancada Ativista do PSOL, Erika Hilton, também postou uma foto em seu Twitter e disse: “Graças ao meu amigo e companheiro Deputado Federal @davidmirandario , hoje a @camaradeputados + @senadofederal foram iluminados com as cores da bandeira #LGBT. Também foram projetadas as palavras #Diversidade e #Democracia.”

O deputado distrital (PSOL) do DF, Fábio Felix escreveu em seu Twitter: “Nosso beijo vai vencer seu ódio! Bandeira de arco-íris#OrgulhoEmSerLGBTQ”.

O prefeito da cidade de Lins, no interior de São Paulo, Edgar de Souza, comemorou a Prefeitura de sua cidade ter recebido uma iluminação também nas cores da bandeira LGBT: “A ação reafirma o papel do Poder Público na promoção da diversidade e nos direitos da população LGBTQIA+ em Lins garantindo que todos os seres humanos devem ter assegurados seus direitos fundamentais, a começar pela vida”.

Diferente da maioria, quem não se disse tão feliz com a iniciativa e reconheceu as poucas (ou nulas) atitudes do Congresso brasileiro em relação à população LGBT foi a ex-candidata ao Senado de Minas Gerais e possível futura candidata à prefeitura de Belo Horizonte, a mulher trans e lésbica, Duda Salabert.


Em seu Twitter, ela escreveu: “O Congresso brasileiro NUNCA aprovou uma lei voltada para os diretos LGBT. As luzes de esperança para lgbt nunca partiram do congresso, mas sim de decisões judiciais. Essa foto mostra que lideramos não apenas o ranking de assassinatos de lgbt, mas também o ranking da hipocrisia”.

O Congresso brasileiro NUNCA aprovou uma lei voltada para os diretos LGBT. As luzes de esperança para lgbt nunca partiram do congresso, mas sim de decisões judiciais. Essa foto mostra que lideramos não apenas o ranking de assassinatos de lgbt, mas também o ranking da hipocrisia pic.twitter.com/Y80ZyNPc9L
 

Já o coordenador do Diversidade23, Eliseu Neto, considerou uma vitória importante da luta pelos direitos LGBTs a iluminação do Congresso Nacional neste domingo (28) com as cores da bandeira do arco-íris: “Do ponto de vista do Legislativo, essa é a primeira grande vitória obtida pelo movimento entre os representantes do povo. Parece pouco, mas é muito simbólico ver a nossa bandeira num Congresso de perfil bastante conservador. Que esse gesto seja o marco inicial de avanços práticos na proteção da nossa população”. 

 

Fonte: Põe na roda 

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload