Homem é preso por ameaçar ex-companheira e manter arsenal em casa

08/11/2019

A Polícia Civil prendeu um homem de 57 anos, suspeito de agredir a ex-companheira, 45, em Sobradinho. Ele estava com mandado de prisão preventiva e de busca e apreensão em aberto após ser denunciado pela ex-enteada, 24, em 2 de outubro. A prisão aconteceu na manhã de quarta-feira (6/11) na casa dele, em Sobradinho.

 

De acordo com a polícia, o homem não aceitava o fim do relacionamento de três anos e passou a ameaçar a ex-companheira. ''Antes do término do namoro, a filha dela percebeu que o suspeito era agressivo quando ingeria bebida alcoólica e começava a xingar as duas nessas ocasiões'', disse o delegado-chefe da 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho 1), Hudson Maldonado.

 

Após o fim do relacionamento, em janeiro deste ano, o suspeito começou a ameaçar mãe e filha. ''Ele mandou uma carta para as duas com ameaças e começou a passar na porta do trabalho da ex-enteada, que é advogada, olhando para ela de forma intimidadora. Ela veio aqui abrir o boletim de ocorrência'', contou o titular da 13ª DP. 


O delegado solicitou, então, junto ao Judiciário, um mandado de prisão preventiva e busca e apreensão na casa do suspeito. ''A gente não subestima qualquer denúncia dessa natureza. Trabalhamos de forma repreensiva e preventiva também. Este é um tipo de situação que não existe ordem. Ele pode ameaçar e, logo, partir para um feminicídio'', disse Hudson.

 

Na manhã de quarta, os policiais chegaram na casa do suspeito e encontraram diversos armamentos e munições. Entre eles, um rifle calibre .22; uma espingarda; 11 facões; uma luneta; uma arma tipo Airsoft Gun; dois recipientes com chumbinho; 128 munições calibre .22; 11 munições calibre .32 deflagradas; quatro munições calibre .28; três munições calibre .38; oito munições calibre .32; uma munição de fuzil.

 

O suspeito foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma e posse ilegal de munição de uso restrito. Por esses crimes, eles pode cumprir pena de 3 a 8 anos de reclusão, fora a Lei Maria da Penha, na qual está sendo indiciado por ameaça, perturbação do trabalho e injúria. 

 

''Ele confessou ser autor da carta enviada para a ex-companheira e ex-enteada. Disse que enquanto estava no relacionamento havia sido traído, mas negou que as armas apreendidas seriam usadas para cometer algum crime contra elas. Mas expedimos o mandado de prisão, porque a pessoa pode ser dominado pelo sentimento de ira e acabar cometendo um crime'', afirmou o delegado.

 

Fonte: Correio Braziliense

 

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload